Acusado de degolar companheira em Bernardo do Mearim é condenado a 14 anos de prisão

O juiz Marcelo Moraes Rêgo de Souza, titular da Comarca de Igarapé Grande, presidiu uma sessão do Tribunal do Júri no Município de Bernardo do Mearim, termo judicial. No banco dos réus, Antônio Pereira da Silva, acusado de ter degolado Maria Matias Ribeiro, com quem vivia maritalmente. O crime ocorreu em julho de 2014, e Antônio Pereira foi recebeu a pena de 14 anos de prisão a ser cumprida no Centro de Ressocialização Regional de Pedreiras.
De acordo com informações do processo, o réu, por motivo fútil, chegou em casa embriagado. Ao encontrar sua companheira dormindo no quarto, ajoelhou-se ao lado da cama e a degolou, sem dar chance de defesa. Antônio Pereira confessou o crime e afirmou que sempre consumia grandes quantidades de bebida alcoólica diariamente, sendo este o motivo de desentendimentos entre o casal. No dia do crime, o réu havia consumido 3 garrafas de cachaça.
mulher degolada
Foto do crime ocorrido em julho de 2014
De manhã cedo as vizinhas estranharam o fato de Maria não aparecer para varrer seu quintal, como de hábito, chamaram na janela do quarto, sem obter resposta. Ao baterem na porta da casa, o réu apareceu dizendo que havia matado a companheira. Ao sair na rua, ele foi preso em flagrante pouco tempo depois. A defesa sustentou a tese no sentido de excluir a culpabilidade, levando em consideração o estado de embriaguez motivada por caso fortuito ou força maior, pedindo absolvição ou diminuição da pena.
“Trata-se de um crime que causou grande comoção na cidade de Bernardo do Mearim, sendo que o julgamento pelo Tribunal do Júri, em sessão bem concorrida, quase oito meses depois do delito, serviu para afastar a sensação de impunidade diante da sociedade local, bem como aumentar a credibilidade do Judiciário, sendo que o réu, que estava preso preventivamente, foi imediatamente reconduzido ao presídio”, ressaltou Marcelo Moraes Rêgo.
A sessão, presidida pelo magistrado, contou com a promotora Michelle Adrianne, titular de Bacabal e respondendo por Igarapé Grande, e Lauand Sampaio, defensor dativo do réu.
Assessoria  da Corregedoria Geral da Justiça do MA

Últimas