Governo participa de ciclo de debates na Fecomércio

Exibindo Foto 1 Divulgação - Felipe de Holanda participa de debate sobre economia maranhense na Fecomércio.jpg

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio), realizou, na terça-feira (27), ciclo de debates sobre as perspectivas econômicas para o Maranhão e para o Brasil em 2015.

Segundo o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo a iniciativa de reunir os empresários locais é muito bem vinda, pois oportuniza o acesso para conhecer os programas de iniciativa do executivo estadual e o apoio que o governo Flávio Dino tem dado ao empresariado.

“Esse evento é extremamente importante para os empresários, pois faz com que todos conheçam as iniciativas propostas pelo governador Flávio Dino em atrair mais empresas para o estado, garantindo total apoio aos empreendimentos que pretendem se instalar no Maranhão. Tenho certeza que, com o trabalho que estamos desenvolvendo através do programa ‘Mais Empresas’, estamos colaborando para que essas empresas possam gerar emprego e renda para o povo maranhense, contribuindo para o fortalecimento do comércio local”, ressaltou Simplício Araújo.

No evento, o secretário de Indústria e Comércio falou sobre o programa estadual de incentivos ‘Mais Empresas’, explicou a forma de funcionamento e como as empresas interessadas podem aderir ao programa.

O presidente da Fecomércio, José Arteiro da Silva, disse que o momento contribui para o desenvolvimento do estado e o fortalecimento do setor. “Consideramos essencial ter promovido este espaço para discussão e esclarecimento de dúvidas. Com a presença de especialistas, esperamos contribuir para o fortalecimento do nosso setor e do processo de desenvolvimento do estado”, disse.

Na ocasião, o presidente do Imesc apresentou os números da conjuntura econômica do Estado para a classe empresarial, mostrando dados do mercado de trabalho, da agricultura, sondagem empresarial, finanças públicas, dentre outros temas importantes para a economia maranhense. “Estamos vivendo um momento histórico de mudanças no governo do Estado, em que se trabalha com uma perspectiva de crescimento da economia, com ações voltadas para a superação da economia de enclave”, afirmou Felipe de Holanda.

A economia maranhense tem um traço estrutural marcante, sendo produtor e exportador de produtos primários, os chamados commodities. Para acabar com essa dependência dos mercados nacional e internacional, em sua palestra, o presidente do Imesc afirmou que é preciso conectar o Estado, tirando os municípios maranhenses do isolamento socioeconômico e político. “Temos condições de mudar esse cenário, adotando algumas medidas como o adensamento da cadeia produtiva, por meio da agricultura familiar, por exemplo. O programa “Mais IDH”, do governo Flávio Dino, é um incentivador para esse desenvolvimento socioeconômico do Maranhão”, completou Felipe de Holanda.

Além do secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo e do presidente da Fecomércio, José Arteiro da Silva, participaram do ciclo de palestra a presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Luzia Rezende; o presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), Felipe de Holanda; o economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Bruno Fernandes; empresários locais e integrantes das entidades de classe do estado.  

Últimas