Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Menores estupram deficiente mental e divulgam vídeo na internet

BRASIL - Mais um caso de estupro foi registrado no interior do Ceará. Três jovens estupraram uma mulher deficiente mental, no Terminal Rodoviário de Icó, a 385 km de Fortaleza. Dois dos suspeitos, que confessaram o crime, são adolescentes, de 16 e 17 anos, que estavam acompanhados de Raynan Mota Mesquita, de 18 anos. 

Segundo o Delegado Regional de Polícia Civil de Icó, Marcos Sandro Nazaré de Lira, após uma noite de bebedeira, o trio foi ao terminal rodoviário e avistou a vítima. Percebendo que ela é deficiente, um dos adolescentes propôs que Raynan praticasse atos sexuais com a mulher, para quitar uma dívida de R$ 30, enquanto o adolescente filmaria o crime. 

As cenas foram publicadas nas redes sociais pelos próprios envolvidos. Com grande repercussão, o caso foi levado à Delegacia de Icó. Segundo informações do delegado, o vídeo veio à tona no último domingo (13), contudo o crime aconteceu no dia 4. 

Os três acusados foram ouvidos nesta quarta-feira (15), e alegaram que “tudo não passou de uma brincadeira”. A vítima fez exame de corpo delito nesta quarta, em Iguatu. De acordo com informações da Polícia, ela vaga pelas ruas e, atualmente, é paciente do Centro de Atenção Psicossocial (Caps). 

O adulto deve ser autuado por estupro de vulnerável, pegando de 8 a 15 anos de prisão. Os adolescentes responderão por ato infracional, e poderão passar no máximo três anos em reclusão. 

Mais um caso 
Foi o segundo caso de estupro com grande repercussão no Ceará neste mês. Duas jovens de 16 e 17 anos foram estupradas e espancadas por quatro homens em um terreno baldio em Capistrano, a 100 km de Fortaleza, na noite do dia 1º. A mais velha foi morta por afogamento ao ser presa numa cisterna. A outra conseguiu escapar com ferimentos. 

Cinco suspeitos foram presos, e responderão pelo crime: Sebastião Pinto de Almeida, de 27 anos, John Lenon dos Santos, de 20 anos, e três adolescentes de com 16, 15 e 14 anos. Todos eles eram moradores de Capistrano, e conhecidos das vítimas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário