Polícia civil prende grupo com identidades falsas

(Foto/ Nilson Figueiredo) Documentos falsos encontrados com os suspeitos

Policias da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) prenderam, na quarta-feira (1º), por volta das 9h, quatro suspeitos de envolvimento em falsificação de documentos falsos e realização de empréstimos fraudulentos. Com o grupo foi apreendido cerca de 70 documentos falsos, dinheiro, celulares e contracheques.

De acordo com o Departamento de Narcóticos (Denarc), o Serviço de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) repassou, para o departamento, informações de que um suspeito estaria de posse de farto material de entorpecentes no bairro da Cohama. Após incursões no bairro, o suspeito Uruan Guaçu Cordeiro Melo, 24 anos, foi encontrado com cédulas de identidades de origem duvidosa. Após investigações mais apuradas foi detido, no mesmo bairro, outro homem identificado por Wilson Araújo Silva JR, 26 anos.

Os suspeitos detidos revelaram que apenas teriam recebido as identidades falsas e apontaram Delmôndea da Silva, 37 anos, de ser o contato com o falsificador. Com a suspeita, detida no bairro da Madre Deus, foi encontrada identidades de origem falsificada. Ela informou sobre as características do suspeito de falsificar as identidades, o que demandou outras incursões.

Falsificador detido


A equipe do Denarc prendeu o suspeito de realizar as falsificações, Neilton Pinheiro, 33 anos, no centro de São Luís. Na residência dele foram encontrados cerca de 70 identidades falsas, diversos contracheques, contas com nome e endereço falso, dinheiro no valor de mais de R$ 300 e sete celulares.

As investigações realizadas pelo delegado Felipe Mendonça, do Denarc, a princípio revelaram que o grupo estava usando as identidades para a realização de empréstimos fraudulentos. O delegado adiantou que as investigações estavam apenas iniciando e que outros suspeitos poderiam estar envolvidos.

Os quatro suspeitos foram encaminhados para a Seic para prestarem depoimentos. O delegado repassou que de acordo com o crime de cada um, eles poderão ser autuados pelos crimes de associação criminosa, falsificação de documentação pública e falsificação de documentação particular.

Últimas