Profissão Repórter mostra à realidade de Marajá do Sena a verdadeira cidade mais pobre do Maranhão e do Brasil

4175691_x360
Avenida Principal de Marajá do Sena
O programa global Profissão Repórter exibiu nesta terça-feira, 11, a realidade do município de Marajá do Sena, considerada a cidade mais pobre do Maranhão e do Brasil, segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano, que avalia as condições dos municípios brasileiros.
Diferentemente do programa Repórter Record Investigação da Rede Record, o programa global Profissão Repórter mostrou seriedade na matéria exibida na noite de ontem, onde usou dados atualizados, ao contrário dos dados usados pelo programa exibido da Record de forma tendenciosa que usou dados antigos do ano de 2000.
IMG_0793-1
Alunos tem que se deslocar em pau de arara
O programa mostrou em uma matéria de quase dez minutos, obras abandonadas e a situação vivida pela população e pelos alunos da cidade de Marajá do Sena, onde a renda mensal por habitante do município é de R$ 96.
Também não muito diferente de Marajá do Sena no Maranhão, o programa exibiu ainda reportagem sobre as condições de vida dos moradores da cidade de Vão das Almas, uma das comunidades mais isoladas da Chapada dos Veadeiros, no interior de Goiás.
Ali, as crianças acordam com o galo, que canta às 4h da manhã. A escola fica a 7 km dali e o meio de transporte é o próprio pé. Quando o rio está cheio, eles não vão para a escola. Para atravessar, eles tiram o tênis, arregaçam as calças e caminham pela água. Volta e meia encontram peixe elétrico, sucuri, arraia…
Depois de a aula já ter começado há quase duas horas, alguns alunos ainda estão chegando, porque moram muito longe. O aprendizado fica comprometido. Nesse dia, as crianças tiveram uma hora a menos de aula, por falta de merenda.
A cidade tem um ônibus comprado pela Prefeitura através do programa Caminhos da Escola, mas ele não estava levando as crianças.
Por Maycom Alves

Veja a reportagem abaixo;



Últimas