Deputados estaduais dizem que são perseguidos pelo governo Flávio Dino



Parlamentares nordestinos divulgaram nota de repúdio após uma fala considerada pejorativa em conversa na última sexta (19) com o ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni. Bolsonaro disse "daqueles governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara".

O documento foi assinado por representantes de Assembleias Legislativas de sete estados do nordeste, entre eles, o deputado Othelino Neto (PCdoB-MA). Os parlamentares dizem que receberam com "repulsa as declarações preconceituosas do presidente da república.




Nota de parlamentares do nordeste contra declaração de Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução/TV Mirante

Os deputados destacaram ainda que a região nordestina tem a terceira maior economia do país e é morada de 53 milhões de brasileiros. Eles pedem respeito e dizem que não abrirão mão do cumprimento dos deveres do governo federal com a região.

Em uma rede social, o governador Flávio Dino (PCdoB) criticou o fato de o presidente ter chamado todos os governadores de "paraíba" e disse que foi ameaçado com estranha raiva pelo presidente e cobrou explicações.



Nas redes sociais, Flávio Dino se diz ameaçado por Bolsonaro — Foto: Reprodução/TV Mirante

Uma nota assinada por 12 deputados federais e dois senadores aliados de Flávio Dino também lamentou as declarações e disse que é inaceitável que um presidente da república determine uma "perseguição" a um estado.


Nota de senadores e deputados aliados de Flávio Dino repudiam fala de Bolsonaro contra o governador — Foto: Reprodução/TV Mirante

Nesta segunda-feira (22), parlamentares do Maranhão também se manifestaram, só que contra a postura do governador Flávio Dino. Welligton do Curso, César Pires e Adriano Sarney afirmam que o governador reclama de perseguição do governo federal, mas, nas palavras deles, essa é uma conduta constante no atual governo do Maranhão contra quem faz oposição a ele.

O deputado César Pires (PV) gravou um vídeo dizendo que os deputados de oposição não conseguem aprovar nenhuma emenda porque são contra o governo.

"O governador se esquece que nós, deputados de oposição, nunca temos nada, nunca tivemos emendas. Portanto, também persegue o povo, o povo que não quis votar em você, o que representa 40% da população. Os deputados estaduais que se aventuram em ser contra o governo pagam o preço. Um preço extremamente caro de não poder levar benefício aos seus municípios", diz César Pires.

O deputado Adriano Sarney (PV) também disse há perseguição contra opositores.

"Nós, da oposição do Maranhão, estamos há mais de quatro anos sendo perseguidos. Nenhuma emenda parlamentar, que é para saúde, educação, cultura, é liberada para nenhum deputado que faz oposição. Nenhum recurso é liberado a nenhum prefeito que faz oposição do Flávio Dino. Os jornalistas são perseguidos. Os servidores que ousam ir contra o governo são demitidos e perseguidos", declara Adriano.


Deputado Adriano Sarney (PV) grava vídeo e diz que é vítima de perseguição pelo governo Flávio Dino. — Foto: Reprodução/TV Mirante

Já Wellington do Curso (PSDB) disse que os governos estadual e federal precisam parar de brigar e se preocupar em trabalhar pelo Maranhão.

"Nós sabemos que o governador Flávio Dino também é perseguidor. Não paga as emendas dos deputados estaduais, persegue os prefeitos que não são seus aliados no interior do estado, não aprovou os projetos de leis dos deputados de oposição. Tanto o presidente, quanto o governo do estado do Maranhão deveriam trabalhar. Deixar as redes sociais e melhorar a qualidade de vida dos maranhenses e dos brasileiros. Nós temos estradas intrafegáveis, nós temos um caos na saúde pública, então na verdade o que se precisa é de trabalho, é de seriedade para melhorar a qualidade de vida da população. Parar de 'picuinha', parar de 'frescura' nas redes sociais.

Procurada pela TV Mirante, a assessoria de comunicação do Governo do Maranhão não se posicionou quanto as declarações dos deputados Wellington do Curso, César Pires e Adriano Sarney.

Fonte: G1 MA

Últimas