Regina Duarte critica presidente da Fundação Palmares: “É um ativista”



Em entrevista concedida ao Fantástico, da Rede Globo, a secretária especial de Cultura, Regina Duarte, criticou o atual presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo.

A atriz disse que espera o momento certo para decidir se deve exonerá-lo do cargo.

“Voltamos a uma situação de uma pessoa que é um ativista mais do que um gestor público. Estou adiando o problema. Eu quero que baixe um pouco a temperatura [para tomar uma decisão]”.

Sérgio Camargo teve sua nomeação suspensa no ano passado pela Justiça, mas tomou posse do cargo após decisão do STF no início deste ano.

Desvinculada da TV Globo, a atriz tomou posse na última quarta-feira (4). Na entrevista, ela reclamou da pressão que vem sofrendo por alguns grupos que pedem sua saída imediata.

“Eu passei os primeiros dias desfazendo intrigas, respondendo a acusações que não são verdadeiras. A gente começou com enormes dificuldades por causa de uma facção que quer ocupar esse lugar. Já tem hashtag #foraregina”.


Ao comentar sobre o ex-secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, que foi demitido após copiar trechos de um discurso do ministro da Propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels, ao gravar um vídeo sobre um programa nacional de artes da pasta, Regina afirma que ele “mereceu cair”.

“Ele foi tomado por um personagem e caiu”, disse.

Regina Duarte também afirmou que grupos minoritários não terão acesso ao dinheiro da secretaria. Ao responder uma pergunta sobre o assunto, ela reiterou que “as minorias devem procurar patrocínio junto à sociedade civil”.

A secretária também criticou artistas que fazem oposição ao governo Bolsonaro. “A polarização que foi estimulada pelo movimento #elenao é um tiro no pé. Esse movimento é pouco inteligente”, finalizou.


Conexão Política

Últimas