WhatsApp clonado: golpistas se passam por lojas para roubar vítimas


O golpe do WhatsApp clonado mudou de abordagem com o aumento de compras online devido à pandemia e à Black Friday da última sexta-feira (27). Golpistas agora visam clientes que deixam reclamações em posts de redes sociais de grandes marcas, e entram em contato com a vítima fingindo ser a loja. A tática consiste em se aproveitar da identidade do comércio para obter a confiança da pessoa, e pedir o código de verificação para ativar o WhatsApp em outro celular. Então, os golpistas se passam pela vítima e conversam com seus contatos para pedir dinheiro.

Uma das vítimas, o estudante de Relações Internacionais Diego Valentim, conta que uma página parecida com a Dafiti lhe enviou uma DM no Instagram pedindo informações sobre seu pedido: “Falaram que enviariam um código por SMS para confirmar a minha identidade. Eu estranhei, mas estava distraído e ocupado em aula online, então dei o código para eles. Foi muito rápido, e em cinco minutos perdi o acesso ao meu WhatsApp”. 

Procurado pelo TechTudo, o Grupo Dafiti declarou que “nossos perfis oficiais são verificados pelas redes sociais e não realizamos atendimento via ‘direct message’ em nossos perfis” (veja nota na íntegra ao final da matéria).

Últimas