Março Lilás incentiva mulheres a se prevenirem do câncer de colo de útero; veja a programação



A prefeitura de Bernardo do Mearim, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realizará, ao longo de todo o mês de março, ações nas Unidades Básicas de Saúde do município em alusão ao Março Lilás, mês de conscientização sobre a importância de se prevenir contra o câncer do colo de útero, a 4ª maior causa de morte por câncer em mulheres no Brasil.

O principal objetivo das ações é orientar e alertar as mulheres sobre a importância de um diagnóstico precoce da doença. O Março Lilás é a campanha em que intensifica a realização do exame PCCU em todas as unidades de saúde do município, ofertando e orientando onde essas mulheres podem realizar seu preventivo.

Para fomentar a busca ativa das mulheres para realização do rastreamento do câncer de colo do útero a Semus promove a partir desta sexta-feira 11 de março ações de prevenção por meio de exames preventivos  no Hospital Minicipal e a partir do dia 15 nas UBS's dos povoados, Lago de Dentro, Cantinho, Caneleiro e Terra Santa, 

Cronograma das ações previstas nas UBS em março:

Dias 11, 17 e 25 de março

Hospital de Municipal de Bernardo do Mearim das 08:00 ás 12:00h

Dia 15 de março

UBS do povoado Lago de Dentro das 08:00 às 12:00h

Dia 16 de março

UBS do povoado Terra Santa das 08:00 às 12:00h

Dia 22 de março

UBS do povoado Cantinho das 08:00 às 12:00h

Dia 23 de março

UBS do povoado Caneleiro das 08:00 às 12:00h




A prevenção primária do câncer do colo do útero está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo papilomavírus humano (HPV). A transmissão da infecção pelo HPV ocorre por via sexual, presumidamente através de abrasões microscópicas na mucosa ou na pele da região anogenital. Consequentemente, o uso de preservativos (camisinha) durante a relação sexual com penetração protege parcialmente do contágio pelo HPV, que também pode ocorrer através do contato com a pele da vulva, região perineal, perianal e bolsa escrotal.

A principal forma de prevenção, entretanto, é a vacina contra o HPV (abre em nova janela). O Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, em 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para meninas e em 2017, para meninos. Esta vacina protege contra os subtipos 6, 11, 16 e 18 do HPV. Os dois primeiros causam verrugas genitais e os dois últimos são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

O grupo etário alvo da vacina são as meninas com idade entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos, pois esta vacina é mais eficaz se usada antes do início da vida sexual. Devem ser tomadas duas doses, com intervalo de seis meses. Grupos especiais, como pessoas com imunodeficiência causada pelo HIV, devem seguir orientações específicas. Para mulheres com imunossupressão, vivendo com HIV/Aids, transplantadas e portadoras de cânceres, a vacina é indicada até 45 anos de idade.

A meta é vacinar pelo menos 80% da população alvo para alcançar o objetivo de reduzir a incidência deste câncer nas próximas décadas no país. A vacinação, em conjunto com o exame preventivo (Papanicolaou), se complementam como ações de prevenção deste câncer. Mesmo as mulheres vacinadas, quando alcançarem a idade preconizada, deverão realizar o exame preventivo, pois a vacina não protege contra todos os subtipos oncogênicos do HPV.